31.03
Arquivado em: adeus minha rainha filmes

O suspense segue três dias em Versalhes na véspera da Revolução Francesa

Em nossa nova série Stream Team, os escritores de artes do Guardian Australia desenterram as suas joias escondidas favoritas em serviços de streaming para ajudá-lo a passar algumas horas isoladas.

É o verão de 1789 e as pessoas nas cidades estão loucas por causa da distribuição desigual de suprimentos. É aí que nos encontramos no início do filme dirigido por Benoît Jacquot de 2012, Adeus, Minha Rainha, seguindo três dias em Versalhes, na véspera da Revolução Francesa.

Agora disponível no SBS On Demand (e em solo brasileiro no Amazon Prime Video), o enredo do filme em francês gira em torno de uma serva, Sidonie (Léa Seydoux), que é a leitora (ou “assistente de leitora“, como é lembrada por mais servas) de Maria Antonieta (Diane Kruger).

Adeus, Minha Rainha inicialmente convida o seu público a um mundo exuberante, no qual toda mulher é a mulher mais bonita que você já viu. Casos são conduzidos em público e os olhares são trocados por corredores. É um universo de vestidos de seda bordados, perfume violeta, delicadas fitas para o cabelo, pequenos bolos e passeios em jardins bem cuidados e ensolarados. O café é descrito tendo um gosto de “veludo amargo” e é bebido enquanto escondido entre lençóis florais em camas de dossel. Mulheres nobres aglomeram-se em cantos escuros e sussurram doces palavras uma para a outra – este filme apresenta muitas cenas de mulheres francesas apenas respirando umas nas outras. Maria Antonieta tem revistas de moda lidas para ela quando acorda, enquanto pessoas segurando tigelas vazias são enxotadas dos portões dourados do palácio. Spoiler histórico: toda essa decadência não vai durar muito.

Menos de 10 minutos do filme, a maré está começando a virar para a família real. Sidonie, que nutre uma lealdade apaixonada à rainha, não entende. Outros criados reclamam de ter que costurar tapeçarias e executar tarefas ridículas, mas Sidonie acha que seu trabalho é como “uma jornada para uma terra mágica“. Ela fica com ciúmes quando um gondoleiro italiano diz que a rainha está tendo um caso com a Duquesa de Polignac (Virginie Ledoyen). Quando uma mulher mais velha da corte menciona casualmente: “Ei, eu ouvi dizer que não há muito pão em Paris“, Sidonie retruca: “Pare de falar bobagem!“. E então, de repente, é a manhã de 15 de julho, e lacaios carregam objetos de valor de Versalhes e servos estão cochichando sobre alguns tumultos na Bastilha na noite passada.



Mesmo que você não goste de dramas de época (eu não entendo você, mas o seu negócio é seu), a decadência e a degradação de Adeus, Minha Rainha provavelmente ainda apelará. Como A Favorita, Retrato de uma Jovem em Chamas e Maria Antonieta, parece um pouco mais ousado, com uma sensibilidade um pouco mais moderna do que outros dramas pesados.

Mesmo sabendo, graças à história, onde o enredo termina, Adeus, Minha Rainha ainda consegue dar a sensação de um thriller no local de trabalho. Não passamos muito tempo com Maria Antonieta e Luís XVI; em vez disso, passamos com as criadas e bibliotecárias do palácio que correm pelos corredores escuros, rostos angustiados iluminados pela luz das velas, imaginando se os revolucionários também quererão eliminá-las.

O que vai acontecer conosco?Sidonie, de olhos arregalados, pergunta ao bibliotecário, subitamente percebendo que seu empregador pode não ser tão popular do lado de fora. Quando os panfletos começam a circular com uma lista de cabeças que precisam ser cortadas para que a França seja renovada, os nobres também lutam para escapar ou esperar ansiosamente pelas instruções do rei e da rainha enquanto a música tensa de violino grita ao fundo.

Sidonie, enojada com tanta culpa sendo colocada em Maria Antonieta e chocada que as mulheres que a bajulavam há uma semana agora estão vasculhando as suas roupas de baixo para ver o que podem vender, também tem a sua lealdade testada.

Adeus, Minha Rainha não é exatamente relaxante, mas algo sobre histórias de pessoas extremamente ricas que não compartilham os seus recursos parece essencial neste momento. Além disso, olhe para os vestidos!

Adeus, Minha Rainha está disponível agora no SBS On Demand (e no Amazon Prime Video em solo brasileiro)!

  • Fonte I Traduzido e Adaptado por: Laura I Equipe do LSBR
Você pode gostar de ler também Deixe seu comentário


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Esclarecimentos:
O site Lea Seydoux Brasil não é afiliado de maneira alguma com Lea, sua família ou seus representantes. Não somos a Lea e não temos o mínimo contato com a mesma. Todo o conteudo do site, fotos, informações e vídeos pertence ao site, a não ser que seja informado o contrário. Este é um site feito de fãs para fãs, sem fins lucrativos. É proíbida a cópia total ou parcial desde layout, assim como deste site.